http://www.confetam.com.br/videos/secretaria-de-politicas-lgbt-da-confetam-debate-sobre-a-luta-contra-a-homofobia-d01d/#
top of page
BBBB.png

Por um mundo onde sejamos socialmente iguais, humanamente diferentes e totalmente livres.
ROSA DE LUXEMBURGO

C.png
B.png
E.png
A.png

OUR FORCE AND OUR VOICE!

MULHERES DE LUTA

CARTILHA MULHERES DE LUTA
Edição Especial Mês das Mulheres.
O E-book está disponível para download. Clique no botão abaixo!

 

cartilha mulheres de Luta Ceprol.jpg

COM A PALAVRA A PRESIDENTA DO CEPROL
Cristiane Mainardi
Historicamente, a mulher tem sido subjetivada e submetida pela cultura machista, patriarcal, de controle e imposição de poder, traduzida em desigualdades sociais hierarquizantes de gênero. O movimento sindical tem sido protagonista na luta feminista e pelo reconhecimento da mulher como sujeito de direitos. Mesmo tendo conquistado direitos como a educação formal, o voto, o uso de contraceptivos, o lugar no mercado de trabalho, etc., ainda falta muito para se avançar no que tange as desigualdades sociais. Não há isonomia salarial entre homens e mulheres. Além disso, há o grave problema da violência que muitas vezes acabam em feminicídio. No que se refere às mulheres negras e a população LGBTQIA+, os índices de desigualdades sociais e violência são ainda mais alarmantes. 
O patriarcado oprime. Essa opressão exige grande resistência das mulheres por liberdade e por sobrevivência. O debate sobre o corpo feminino ainda é um tabu e o direito da mulher de decidir sobre o próprio corpo é uma pauta importante para assegurar a saúde das mulheres, seu bem-estar físico, mental e emocional. É preciso romper com discursos e práticas que tentam nos limitar, nos definir e nos sujeitar. É tempo de sermos protagonistas da nossa própria história! 
O feminismo e o movimento sindical têm desempenhado um importante papel na resistência e na organização coletiva das mulheres. São movimentos indispensáveis à mudança das relações de poder que precisamos para construção de uma sociedade com igualdade de gênero, que acolha a diversidade e, consequentemente, democrática e com justiça social.
Por isso, neste 8M, saudamos as mulheres de luta! São essas mulheres fortes e corajosas, que resistem e lutam todos os dias contra o machismo, o racismo e a homofobia, que estão abrindo caminho para a igualdade e para a liberdade de muitas outras mulheres. 


 

bottom of page